POPLIFE

Universo RPG, com base no jogo Popmundo

Junho 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Baile Dia dos Namorados - ano 83

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Sex Ago 07, 2015 10:54 am

Já estava tudo pronto, as mesas, com toalhas branca tinham cada uma um arranjo de flores e velas,  rodeavam a pista de dança, no alto o globo de luz espalha bolinha dançantes coloridas por todo o salão, no palco a banda elegantemente vestida de smoking e gel nos cabelos, repassavam o som cantando Unchained Melody, as backing vocals dançavam graciosamente seus passos ensaiados.

Caminho mais um pouco, paro no meio da salão e olho tudo em volta "Perfeito", fecho os olhos e me recordo os tempos de faculdade, as festas, as viagens, fugir do baile pra namorar no carro, sorrio, era como um filme, suspiro e volto o pensamento ao presente, "agora é a vez deles viverem esse filme".

Chamo o maître verifico se está tudo pronto na cozinha, ao lado do bar uma mesa com frutas e ponche recebe os toques finais.

Olho pro relógio, já era hora, caminho até a entrada, abro as grandes portas do salão

-Sejam Bem vindos ao Baile de Dia dos Namorados!! Divirtam-se... com moderação!

Ver perfil do usuário http://popmundohelper.blogspot.com.br/

2 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Sex Ago 07, 2015 1:08 pm

Acordei tarde. Na noite passada,praticamente foi impossivel dormir,a ansiedade pelo baile tomava conta. Seria o primeiro passo para começar a vida nova,apos o ensino medio. Pulei da cama,e fui correndo tomar café da manha. Nao podia perder a hora marcada no salao,com dias de antecedencia.
Apos longas horas,estava pronta. Me admiro no espelho,o vestido da formatura ainda me encantava. "Uau,sera que continuo solteira depois desse baile?"
-Corre filha,vai se atrasar!
Desço as escadas correndo e entro no taxi,- Campus da Universitatis Carpe Diem,por favor.
No caminho bate o nervosismo. As maos suadas, segurando o celular,recebiam mensagens de amigas que foram pra outra faculdade. "Amiga,boa sorte no baile!"
O nervosismo nao era pra menos,seria meu primeiro ano de faculdade. Novos amigos,novos professores,novos lugares... "Sera que vao gostar de mim?"
-Moça,chegamos!
*paga o taxi e desce*.
"Que lugar lindo,tenho certeza que viverei muita coisa aqui"
*caminha pra dentro do campus*

Ao chegar encontro a Reitora nos dando boas vindas.

Ver perfil do usuário http://85.popmundo.com/World/Popmundo.aspx/Character/3269961

3 Primeiro Dia - Baile em Sex Ago 07, 2015 2:53 pm

Eram dez horas da manhã, eu não sabia ao certo o que esperar do dia. Mas quando olhei o calendário já era 07/08, o grande dia do Baile. Levantei da cama como uma corrida de 300 metros rasos e corri para o banheiro. Assim que eu olhei o espelho eu pensei ''Meu Deus, acho que estou horrível''.

Depois de um belo banho, fui até o meu quarto e lá estava um presentinho da namorada mais linda do mundo (Giovanna) e com a frase tão sincera em um cartão - Quero que use isso hoje - De imediato, sorrio, e penso ''Namora mais linda e carinhosa *-*''. Pego a roupa e visto e sento no computador para reler alguns emails, torpedos e a matricula da faculdade, mas quando olho para o relógio já eram 14:00 da tarde, já estava super atrasado. Ligo para o táxi e digo.

- Por Favor um táxi para ontem!!!.

Logo logo o táxi chegou e eu já estava a caminho do baile. E pensando como será tudo isso e o que eu posso esperar de tudo. Ao chegar escuto logo de longe uns gritos de festa e o DJ falando:

- Bem vindo alunos e convidados !!! lol!
Finalmente o dia chegou e logo de vista avisto a princesa mais linda desse mundo azul e corro para abraça-lá.

Ver perfil do usuário http://matthewwhitehouse.weebly.com/

4 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Sex Ago 07, 2015 9:49 pm

Era a segunda vez que Nana passava por aquele tipo de situação e isso não tornava as coisas mais fáceis, muitas vezes era exatamente o inverso, criava expectativas, ficava nervosa pensando sobre reações que já havia presenciado e no que elas difeririam, ela era alguém que lidava muito melhor com imprevistos, podia aprender a treinar pandas gigantes no metrô de Nova Iorque se a situação bizarra lhe aparecesse à frente, mas era péssima quando tinha de realizar testes para o qual havia estudado por anos.
"Vai ficar tudo bem." Ela pensou enquanto fazia suas malas para ir para São Paulo, o Brasil ficava do outro lado do mundo mas Nana já o conhecia, havia passado os meses mais intensos de sua vida em uma outra república no Rio de Janeiro, intensidade que havia culminado em assassinato e morte que condenara a República ao fechamento.

Estava acompanhada durante o vôo cansativo de um dia inteiro com seu gatinho, Nyanko, ele ainda era um filhote da raça Ragedoll e ainda assim já era muito maior do que qualquer gato comum adulto, ironia que Nana apreciasse tanto raças gigantes quando ela tinha apenas um metro e cinquenta e cinco de altura. Daquela vez Nyanko viajou devidamente em uma caixa de transporte, seu tamanho não permitia mais que ele fosse levado no bolso como um contrabando como na primeira vez.

Nana decidiu pegar um ônibus e metrô ao invés dos táxis oferecidos na porta do aeroporto, era suicídio com uma mala e um gato, ela sabia, mas adorava ver as pessoas tão diferentes em seu dia-a-dia, conversando alto dentro dos trens, rindo e se pendurando nas barras de ferro, no Japão os trens eram tão silenciosos quanto cemitérios e as pessoas se desculpavam mil vezes para desconhecidos se tinham que responder aos sussurros à uma emergência de dentro de um vagão. Felizmente não era horário de pico e ela conseguiu chegar à república sã e salva após ser liberada por um segurança no metrô que lhe dizia que animais eram proibidos, para ele Nana fingiu não saber português e o homem desistiu fácil sem saber como lidar com a situação.

Chegando à porta da universidade ela soltou Nyanko, o gato não fugia, sempre a seguia em lugares estranhos, quase como um cão, e pegou o envelope com a matrícula da faculdade e de uma festa que iria acontecer logo no primeiro dia, foi então que ela arregalou os olhos amendoados ao ler "Traje de gala obrigatório.". Ela abriu sua mala ali mesmo e revirou tudo em plena calçada, não tinha um traje de gala sequer nem nada perto disto.
- Kusooooo! - Ela xingou em japonês baixinho com os dentes trincados, não queria perder a festa, era uma forma de conhecer as pessoas do Campus, mas não queria correr o risco de ser expulsa logo no primeiro dia. Foi quando bateu os olhos em uma vestimenta de maid feita em tons pastéis, era roupa de performance que ela normalmente teria vergonha de vestir em ocasiões rotineiras, mas aquela era uma exceção. Quais as chances de alguém acreditar que ela era mesmo uma pessoa contratada para servir os convidados? Só tinha uma forma de saber e tudo o que Nana precisava era de um banheiro onde se trocar.
- Ikou, Nyanko! - Ela chamou o gatinho que a seguiu preguiçoso.

Ver perfil do usuário http://popothings.weebly.com/

5 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Sab Ago 08, 2015 12:18 pm

"Como era bom respirar aquele ar paulistano" Estava entusiasmada for finalmente poder dormir em casa e acordar fora de hora. Abri as janelas e ainda de pijama vou até caixa de correio do prédio pegar as correspondências. Contas e mais contas além de um convite. "Um contive para uma festa?". Meus olhos curiosos não me deixam voltar para o apartamento e abri ali mesmo. Era o convite pro baile da Uni e somente naquela hora me lembrei que era dia dos namorados."Nessas horas que é bom ter a esposa pertinho. Passo lá logo depois do almoço depois vamos para essa festa". Só faltava decidir o que vestir. Passei o olho em todos os vestidos e puxei um que parecia refletir meu momento: Cinza Escuro. Joguei-o em cima da cama e enquanto me arrumava fiquei pensando no ultimo ano. Um ano trágico que me trouxe muita dor e que acabou de um jeito muito inusitado. " Esse ano vai ser diferente... Eu espero". O telefone toca.
- MAS... Eu ia te fazer a visita e não o contrario? que horas chega?... JÁ ESTÁ aqui!!!! OMG!!!!! Estou descendo amor.
A visita aconteceu em casa mesmo. Contei para ela o que acontecera, tudo mesmo, até da festa que teria mais tarde. Iria sozinha mas prometi me comportar. Ela se despede e diz que me esperaria na Argentina.
Chamei o táxi. Queria ir cedo para ter menos transito e não chegar atrasada.
- Bom Dia. Universidade Carpe Diem por favor.
O Taxista me olhou de canto de olho antes de ligar o carro e partimos. Corrida rápida sem nada que possa nos atrapalhar. Quando o táxi foi embora olhei para aquele lugar. Era impressionante e ao mesmo tempo assustador."Será que serei bem vinda? Será que encontrarei pessoas conhecidas? Será que conseguirei me enturmar?." As dúvidas de sempre. Andei pelas ruas e minha sorte eram as plaquinhas indicando o caminho. Passei perto de uma nipônica que chamava atenção de seu bichinho. "Só pode ser a Nana".
- NANA!!! nos encontramos aqui também *risos*
Ela estava meio nervosa. "Deve ser a roupa". Até que chego ao local marcado. Todo decorado para o baile vejo uma moça ao fundo que contempla a decoração. Achei que era nossa reitora mas nem me aproximei. Olho para meu traje e vejo que ele destoa de toda a decoração vibrante. Queria não chamar atenção mas aquele ponto cinza poderia ser visto de qualquer lado do salão. Logo depois um rapaz chega dando as boas vidas. Não o conhecia mas devia ser um dos organizadores do baile. Lá dentro um rosto conhecido. Corina, uma menina que parecia recém saído do ensino médio que já conhecera. Me aproximei dela sorrindo. Os sapatos de salto alto negros, óculos quadrados e os brincos cafonas completaram o look da noite. Era o melhor que eu tinha."Vai ficar tudo bem... tudo bem"

Ver perfil do usuário

6 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Dom Ago 09, 2015 2:56 pm

Acordo com o celular tocando sem parar, tateio com a mão encima do criado mudo, os olhos não querem abrir, Plafff!!, cai no chão, lutando contra o sono, mas querendo fazer parar aquele torturante toque do celular, me debruço pra alcança-lo, Plaff!! agora eu caiu da cama, tiro o cabelo do rosto e atendo.

-Alô!

Do outro lado da linha minha irmã com aquele jeito irritante dela, dando bronca, estava atrasada. Desligo, respiro fundo "vamos lá". Tomo banho, um café rápido e saiu pra encontrar Nicole no salão. Fazemos cabelos, unhas. Depois de um almoço rápido, passamos em casa e pegamos os vestidos e seguimos pra Universidade, ela queria conferir de perto os detalhes da festa, mas eu só pensava em encontrar meu amor mais tarde. Estava animada, era uma nova fase, fazer novos amigos e enfim sair de casa, iria morar com meu amor, tudo bem que numa república, não me parecia ideal, mas já era um começo.

Me arrumo com meu vestido e Nicole grita que vai abrir o salão, ela não parava de gritar naquela tarde, caminho até a porta, vejo os rostinhos novos pela frente e no meio deles, ELE, corro ao seu encontro e o beijo.

-Ansiosa pra te ver, você está lindo!

Olho em volta enquanto caminhamos até uma mesa, aceno para algumas pessoas conhecidas.

-Esse ano será o mais divertido de nossas vidas!

Ver perfil do usuário http://poplifeppm.wix.com/thewhithehouses

7 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Seg Ago 10, 2015 6:51 pm

A ideia era passar despercebida, se esgueirar até um banheiro e... "NANA!" ...ela ouviu seu nome sendo chamado, virou-se para trás e sorriu ao ver quem a chamava.
- Alicia! Mundinho pequeno, ne? - Ela podia realmente falar sobre aquilo, afinal, vir do outro lado do planeta e encontrar a mesma pessoa era certamente surpreendente. Ainda tinha bastante sotaque mas certamente já falava muito melhor o português do que na primeira vez que vira Alicia, a mania de "ne" e o jeito manso de falar provavelmente nunca desapareceriam.

Alicia entrou e Nana fingiu fazer o mesmo mas desviou para outro caminho, longe da festa, não conhecia o local então teria que achar sozinha um banheiro ou cômodo vazio, seria mais fácil se mantivesse-se o mais longe possível da iluminação e das pessoas. Por fim encontrou um quarto grande vazio e com a janela aberta, por onde saltou para dentro e se trocou, colocando o vestido de maid.

- Pronto, Nyanko, agora você vai dar uma volta, não vá longe, tá? - Disse ao gato, mas quando saiu do quarto o gato ainda a seguia como um cão, talvez tivesse de levar o animal à um psicólogo de animais, não era possível. - Está bem, daremos um jeito, ne. - Buscou a entrada da cozinha e roubou uma bandeja reluzente grande o bastante para caber o gato dentro e foi para o salão. Viu algumas garçonetes e garçons franzindo o cenho para ela, sua roupa não podia ser mais diferente da veste que era o uniforme deles, mas ninguém se deu ao trabalho de perguntar, pelo menos por enquanto.



Última edição por Nana em Seg Ago 10, 2015 11:35 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://popothings.weebly.com/

8 RE: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Seg Ago 10, 2015 9:28 pm

Acordei cedo no domingo, mesmo depois de uma noite assistindo shows e bebendo tequila. Estava ansiosa e apreensiva para o baile. Seria a primeira vez que estaria com muitas pessoas da minha idade desde o colégio (e já faziam uns bons três ou quatro anos desde então).

Peguei minha motocicleta e parti do Rio de Janeiro, onde estava por diversão, para São Paulo. A estrada relaxa, mas também faz pensar. Comecei a imaginar todo tipo de coisas que poderiam acontecer e desejei muito que minha amiga também aparecesse por lá.

Já em SP, mandei mensagens para Courtney para que me encontrasse na entrada do baile. Vesti um vestido barato, justo e listrado no banheiro de um bar próximo ao endereço do convite. Ao sair, vesti uma jaqueta emprestada e verifiquei mais uma vez o celular sem nenhuma notificação. "Essa $%#@ não vai!", pensei com raivinha por menos de dois segundos.

Cheguei no baile rápido e estacionei próximo à entrada. Vi pessoas entrando, todas bem arrumadas. Encostei na moto e chequei novamente as notificações. Nada. Pensei em entrar, mas estava receosa de ser aquela que passa a noite segurando um copo escorada na parede. "Por que fui nascer tão tímida?".


Ver perfil do usuário http://manuelagiragossian.weebly.com

9 Re: Baile Dia dos Namorados - ano 83 em Ter Ago 11, 2015 10:40 pm

Tinha chegado a pouco tempo em São Paulo, estava super empolgado com a idéia da república, novamente no Brasil onde não esperava estar tão cedo se não fosse pelas turnês da vida. Da última vez não deu tanta sorte assim, o clima não agradou, o vôo foi complicado e não pôde aproveitar tanto tempo assim no país pois logo teve que voltar. A primeira oportunidade que tinha era um tal baile que foi convidado a participar.

Era hora de soltar aquele português que tanto praticou pela internet e em algumas outras situações com outros brasileiros. Como ainda não tinha se mudado 100%, suas malas ficaram no hotel que estava hospedado. O ruim é que não fazia idéia do que vestir para o baile então só podia pensar em algo simples, porém acreditava que ainda ia servir. Outra coisa também é que o fato de estar em um ambiente com pessoas que não conhecia o deixava nervoso.


No meio do caminho parou em um bar para tomar algumas doses de caipirinha, não perderia a chance de experimentar pela primeira vez e queria estar um pouco alterado ao ponto de perder a timidez para falar com as pessoas. No fim do trajeto até o local saiu do táxi e ajeitou a graveta engolindo seco, não fazia idéia do que poderia acontecer assim que colocasse os pés lá dentro. - Ok, Sora! Lembre-se, você andou praticando um pouquinho de dança, mesmo se dançar sozinho você estará acima da média. Se motivou, ajeitando a gravata enquanto se dirigia até a entrada.

Estava lá finalmente no meio do salão quando sentiu uma leve tontura que o fez cambalear um pouco para o lado. - A caipirinha me pegou? Foi só um gole. Apertou os olhos tentando analisar as pessoas em volta, não reconheceu ninguém a princípio e então humildemente se dirigiu até o balcão do bar jogando os cotovelos por cima.

- Moço, eu não sei o que eu quero da minha vida, tem cachaça? O bartender pegava uma garrafa de Seleta e deixava uma dose num copinho em cima do balcão. Encarou meio confuso para o copo, nunca havia tomado cachaça antes. - Bom! Seja o que Kobe quiser. Pegou e tentou virar tudo de uma vez o que não conseguia muito bem, sentiu a queimação diretamente na ponta da língua, era tão forte que chegou a cuspir de volta para dentro do copo e berrou por impulso. - CREDO! Que coisa horrível! Botou a língua pra fora com a boca aberta tentando se abanar, notando que o bartender não só o olhava com uma cara confusa, mas com olhar torto também

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum